Segunda-feira, 29 de Junho de 2009

Melgas:

- no próximo ano estarão livres de mim!

 

Venho por este meio dizer-vos que, por minha vontade, dou por acabado o projecto que me propus realizar na EB 1 do Curval - Pinheiro da Bemposta (Oliveira de Azeméis). Na realidade, isto quer dizer que no próximo ano lectivo, vocês vão livrar-se de mim, este chato (mas para sempre benfiquista) sem cura, e passarão a ter um(a) professor(a) bem mais interessante.
Sabem, há momentos na nossa vida em que temos de reconhecer que chegou ao fim o nosso tempo num determinado sítio, neste caso, numa escola. Sou professor, tenho uma mulher e uma filha. Como vocês, também tenho de fazer escolhas. E esta escolha vai durar para mim 4 anos!
Há muito tempo que vinha pensando no que seria melhor para mim e há muito tempo também que tinha tomado a minha decisão. Nada disse para não vocês não ficarem logo aos pulos de contentes e deixassem, simplesmente, de estudar.
Fui muito feliz na Escola do Curval. Vivi momentos que nunca esquecerei com vocês e outros alunos. Prezo-me de tudo ter feito para dar o meu melhor nas dificuldades de cada um. Sei que nem sempre terei estado à altura das vossas exigências e expectativas mas, como sempre vos disse, sou de pele e osso como vocês. Um professor nunca é perfeito. É um eterno descobridor que tenta levar os seus alunos pelas melhores aventuras que os livros nos trazem.
Era muito importante para mim escolher um momento alto para sair, quando tudo estivesse super bem. E assim será. Inaugurações, a partir de Setembro, não irão faltar. Temos de saber sair. Nunca deixem que vos empurrem.
Como sempre, a única coisa certa que tenho na vida desde que sou professor  é a minha chave do carro no bolso. Terei novos alunos e outra escola. Vocês terão uma nova escola e um(a) novo(a) professor(a). Estamos quites!
Para sempre, ficará a nossa amizade. No meu coração, ficará a essência de todos vós.
Peço-vos que quando passarem por mim, não tenham vergonha de virem cumprimentar-me, mesmo que eu pareça um velho "cácá", sem me segurar na bengala. Digam simplesmente: "você foi meu professor no Curval!"
 
Beijinho a aquele abraço apertado.
 
Do Amigo e professor,
José Alho


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 18:40
Sábado, 20 de Junho de 2009

 

Espectáculo " Pátio da Rua"
encantou pequenada

Na manhã do passado dia 19 de Junho, teve lugar na EB 1 e JI do Curval, o encerramento oficial do ano lectivo 2008/09. Num semestre marcado pelo aprofundamento da articulação com a Associação de Pais daquela escola (APEBC), importará referir que o evento foi precisamente oferecido pelos Pais e Encarregados de Educação do Curval.
Contratada a prestigiada empresa de Teatro e Animação Kopinxas, que se deslocou, pela primeira vez, ao concelho de Oliveira de Azeméis, foi apresentado aos petizes da EB1 e JI uma dramatização, intitulada “Pátio da Rua”, de linguagem simples e cuidada, usada simultaneamente como instrumento lúdico. No essencial, este espectáculo foi, no seu todo, uma revelação constante onde, por entre belos malabarismos e a arte de bem-fazer rir - usando esse ser fantástico e ao mesmo tempo frágil que é o palhaço - os alunos foram consecutivamente convocados a participar nas atracções, numa interactividade excepcionalmente conseguida.
Por seu turno, Luzia Cunha Ferreira, a presidente da APEBC, daria conta da "alegria de todas as famílias que muito contribuíram para colaborar com a escola neste dia que acabou por ser fantástico".
Numa criação dos artistas Eduardo Dias e Nuno Tavares, o Coordenador da EB 1 do Curval, José Manuel Alho, enfatizaria, no final e uma vez mais, “os proveitos de uma boa parceria com os Pais e suas organizações que, neste caso concreto, fez jus à tradição de no Curval inovarmos nas abordagens que preconizamos para as especificidades de cada desafio.”
 
 

 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 15:32
Segunda-feira, 15 de Junho de 2009

 

 Área de Projecto

"Água, Fonte de

Qualidade de Vida"

 
No passado dia 15 de Junho, segunda-feira, pela manhã, a nossa escola cumpriu a sua última visita de estudo inserta no seu Plano Anual de Actividades com a deslocação ao Pavilhão da Água, no Porto, no âmbito da Área de Projecto "Água, Fonte de Qualidade de Vida".
Ainda antes de entrarmos, fomos desafiados no exterior por jactos de água que eram conrolados através de painéis solares que os moviam em direcções diferentes. Estivemos na SALA VITA onde assistimos à projecção de um filme sobre o estado da água no nosso planeta!
De seguida, vimos o gigantesco "Água Mobile" que trabalha em conjunto com a BOMBA das botas de borracha", a "coluna de pressão de água" e a "Central Hidroeléctrica". Estes mecanismos movidos a água accionam rodas de água, sons de cascata, cores e fantasias que fizeram mexer, no topo do mobile, um peixe enorme. O peixe separava a cabeça do resto do corpo mostrando uma caravela, a sua cauda - que se move de um lado para o outro e na sua boca vimos o seu peixe filho!
Vimos ainda a Bomba das Botas de Borracha - onde uma bomba feita mesmo de botas de borracha fez movimentar o peixe e acender os seus olhos vermelhos! Conhecemos também a Roda Gigante; o Aquafone de Garrafas (oito garrafas iguais com volumes diferentes permitiram obter sons vários ao serem tocadas com uma baqueta); a Caixa Mágica; o Habitat, o Ciclone de Água (uma experiência que permitiu controlar a água fazendo-a girar com maior ou menor velocidade; o Furacão (compreendemos como se forma um furacão); a Coluna de Fitoplâncton (algas microscópicas com diferentes cores); a Água Como Vidro (por vezes, a água parece cristal...); o Sistema de Comportas (mostrou como dominar um rio, fazendo movimentar um barco entre lagos de diferentes altitudes, semelhante ao que é utilizado nas barragens); as Ilusões de Óptica (o nosso cérebro pode ser "enganado" e ver coisas que não existem); os Jogos com Arco-Íris (a formação do arco íris); a Fonte das Maçãs Douradas que permitiu observar o equilíbrio de uma maçã no topo de um jacto de água; O Ciclo da Água; Água É Vida (vimos num microscópio bichinhos que contaminam a água) e, por fim, as ondas caóticas, que possibilitaram observar o comportamento imprevisível das ondas e verificar que nunca são iguais.


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 15:49
Domingo, 14 de Junho de 2009

 

Rápidas melhoras!!

A nossa turma, à semelhança de todas as outras, bem como as nossas famílias, aproveita(m) para desejar as rápidas melhoras à senhora Professora Manuela.

Que tudo corra pelo melhor!!



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 14:55
Sábado, 13 de Junho de 2009

SANTOS POPULARES

O tempo das fogueiras é o mês de Junho em que se festejam os Santos Populares.
Em Lisboa há arraiais pelo Santo António com foguetes, manjericos e as marchas dos bairros antigos desfilam nessa noite pelas ruas e avenidas. Nas cidades do Porto e Braga festeja-se o S. João e noutras terras é S. Pedro o festejado.
Há sempre bailaricos, balões que sobem no ar, petiscos em que não falta a boa sardinha assada e muita, muita alegria.
 
Algumas tradições e Crenças de Sto. António
·         Sabias que é costume as crianças de Lisboa pedirem na rua "um tostãozinho para o Santo António"? É que antigamente as crianças faziam uns altares onde as pessoas podiam deixar esmolas para o santo... Ou para as crianças.
·         Para as raparigas verem com quem vão casar: "À meia-noite, a rapariga, num quarto às escuras, diante de um espelho, chama por Santo António sete vezes e acende uma vela... e logo verá reflectido o rosto do homem com quem casará."
·         Para as raparigas saberem o nome do rapaz com quem vão casar: "As raparigas, depois de se extinguirem as últimas labaredas da fogueira, no borralho que fica, metem cinco réis. No outro dia vão buscar o dinheiro e dão-no ao primeiro mendigo que aparece, cujo nome é o nome do homem com quem casarão."
 
 
Algumas tradições e Crenças de S. João
- Sabias que a noite de São João é considerada muito boa para adivinhar o futuro? Desde casamentos ao ano agrícola e ao clima, tudo se pode saber nesta altura!
- Sabias que a noite de São João é considerada mágica desde a Idade Média? Diz-se que as "mouras encantadas" deixam a forma de cobras, com que vivem todo o ano, e vêm à tona da água com figura humana. Na madrugada de São João vão as mouras estender os seus tesouros à orvalha do campo. Esses tesouros ficam aí encantados sob a forma de figos. Se alguém passa, os apanha e não os come, transformam-se em verdadeiros tesouros. Se, porém, a pessoa que os apanha os come, reduzem-se logo a carvão.
 
Algumas tradições e Crenças de S. Pedro
Mas afinal o que é que este Santo, com mais de 2 mil anos, tem a ver com as tradições que hoje são festejadas em seu nome por quase todo o mundo?
Afinal, São Pedro era uma pessoa muito séria, que fazia milagres e foi o primeiro Papa cristão.
Este santo é invocado (a quem se pede ajuda) pelos crentes por muitas razões:
- É protector dos pescadores e guarda as portas do Céu. É aliás, por essa razão que é apresentado com as suas longas barbas brancas e um molho chaves na mão.
- Segundo a crença popular, São Pedro é também muitas vezes responsabilizado pelo estado do tempo, nomeadamente pela ausência ou abundância de chuva.
- O dia dedicado a São Pedro é 29 de Junho que marca o fim das festas dos "Santos Populares".
Tal como Santo António e São João, este homem é visto como casamenteiro e um dos santos do Verão, que todas as pessoas adoram.
É Santo padroeiro de tudo e mais alguma coisa:
- De pessoas em delírio, com problemas nos pés, com febres e dos idosos.
- Mas também dos padeiros, dos construtores de pontes, dos homens do talho, dos relojoeiros, sapateiros, pescadores, agricultores e construtores de barcos e redes.
Ufa! Não há santo que aguente!
Uma pesquisa da Turma C – 3.º Ano


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 19:59
Terça-feira, 09 de Junho de 2009

 

Em cheio!!

Na passada sexta-feira, dia 5 de Junho, e de acordo com a planificação inserta no nosso Plano Anual de Actividades, oportunamente aprovado em Conselho Pedagógico, comemorámos o Dia Mindial da Criança.
Num primeiro momento, no Parque de La-Salette, onde - enquanto a chuva não fez das suas... - aderimos a algumas propostas presentes no local numa boa organização da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis.
Num segundo momento, com o regresso forçado à escola, experimentámos um conjunto diversificado de actividades multidisciplinares, dinamizadas em conjunto pelo JI e EB1, que atestaram uma tarde soberba e repleta de alegria. Todos os professores participaram no enriquecimento dos atliês.


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 10:08
Quarta-feira, 03 de Junho de 2009

 

 Faz a TUA parte!!

 
Como sabes, o dia 5 de Junho é lembrado como o Dia Mundial do Ambiente. Eis uma data especial para ensinar a respeitar e a preservar o meio ambiente. Se moras numa vivenda com jardim, ou algum parente ou um amigo mora numa casa que tem um espaço verde; que tal convencê-lo a plantar uma árvore e aproveitar a oportunidade para conversar sobre a preservação do meio ambiente e falar-lhe sobre muitas coisas importantes? Em Portugal temos o projecto de recolha de lixo que se chama Eco Ponto, que consiste na separação do lixo para que o mesmo possa ser reciclável. Boa oportunidade para ensinar o vizinho a reciclar o lixo e a preservar o meio ambiente.
Por tudo isto, sê amigo do ambiente e faz a tua parte! Salva o Planeta Terra!
Para quem não sabe, a Ecologia é o estudo das relações dos seres vivos (plantas, animais, seres humanos) entre si e com o meio ambiente. É através da Ecologia que aprendemos a lidar com o meio ambiente, a preservar nosso planeta, a cuidar dos animais, a economizar a água…
Muitos adultos não se preocupam com o meio ambiente, e nós, as crianças, podemos dar bons exemplos, aprendendo a preservar o planeta que também é nosso. Com isso estaremos a cuidar do nosso futuro. O planeta tem enfrentado muitos problemas de aquecimento, o abate de florestas, instabilidades climáticas, tudo por irresponsabilidade do ‘Homem’. Se não cuidarmos da Terra, ela poderá deixar de existir. Por isso, é importante fazermos tudo para termos um mundo melhor e mais puro!! 
Um trabalho da Turma C – 3.º Ano

• Aprende a reciclar papel • Aproveita as embalagens
• Recicla o lixo
• Poupa energia eléctrica • Economiza água
• Toma atitudes responsáveis
• Faz o teu próprio jardim
• Planta uma árvore
• Faz a tua parte!! 
 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 11:38
Terça-feira, 26 de Maio de 2009

 

Adorámos!!

 Hoje, toda a nossa escola se deslocou a EB 2/3 para participarmos nas actividades sobre o ECO-Dia. Tivemos uma manhã inteira em muitas atracções.
Tivemos direito a guias que foram dois meninos mais velhos que nós. Foram espectaculares! Depois de eles nos receberem, fomos visitar os carros da GNR. Os senhores agentes explicaram-nos quais as suas missões. Conhecemos os computadores que têm para identificar quem não conduz bem; vimos como se sopra no balão e até montámos numa mota de polícia! Eles foram muito simpáticos e pudemos ainda conhecer os cães que ajudam nas buscas que a GNR faz.
Depois fomos à biblioteca onde escutámos a história “O galo da Luciana” . Respondemos a perguntas e até jogámos um jogo que acabou em lembranças para todos. Uma menina mais velha que nós leu muito bem.
Fomos depois em grupos de oito para o insuflável onde saltámos e brincámos até nos cansarmos de tanta agitação. Lanchámos com calma.
Por fim, fomos ver os ateliers de artesanato e dos cursos profissionais que existem na EB. Estava muita gente e vimos coisas que nem pensávamos existirem. Deram-nos lembranças. Recebemos também um panfleto muito engraçado que tinha o título “Água: poupe hoje para ter amanhã”. Lembrou-nos o nosso projecto “Água, Fonte de Qualidade de Vida”.
Regressámos de autocarro. Nunca como este ano fomos tantas vezes à EB.
Adorámos!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 16:19
Segunda-feira, 11 de Maio de 2009

 Olhem o que fizemos!!

A nossa turma fez várias experiências que estão previstas no nosso livro de Estudo do Meio.

Por exemplo, o Miguel Cruz demonstrou  o movimento da roldana, que permite elevar todo o tipo de cargas leves. Encontramos este movimento quando colocamos uma bandeira no mastro sem tirar os pés do chão, içando um balde cheio de água de um poço ou levantando o estore do nosso quarto.

Os materiais que o Miguel utilizou foram: 1 carrinho de linha; fio de cordel; 1 copo de iogurte; 1 gancho; arame; alicate e areia. 

 

 Já o Davi representou o movimento da engrenagem, que é um movimento que se vê em quase todas as máquinas que giram. É o caso do relógios e das bicicletas.

O Davi só precisou de tiras de cartão canelado com cerca de um centímetro de largura; tampas de boiões e de garrafas de diferentes tamanhos; 1 tira de cartão; pionés; 1 pino curto de madeira; cola e papel.

 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 14:34

 

Principais conclusões

 
Os piolhos são insectos pequenos e sem asas. Alimentam-se de sangue humano.
Os piolhos reproduzem-se muito rapidamente. Os piolhos fêmea põem até 10 ovos por dia. Os piolhos vivem 2 a 3 meses. Nesse período de tempo, os piolhos fêmea põem entre 200 a 300 ovos.
José Pedro Pereira
 
Os piolhos são muito pequenos que aparecem na cabeça. Deve ver-se a cabeça regularmente. A falta de higiene ajuda muito a que eles apareçam.
Quando se tem piolhos, deve ir-se à farmácia comprar remédio para matar aqueles bichinhos. Existem vários remédios para esse tratamento.
Fábio Pereira
 
Os piolhos são insectos que se reproduzem muito rapidamente e que vivem no cabelo dos humanos.
É preciso ter cuidados de higiene e por isso não basta lavar com o champô de tratamento e usar pente fino…
Leonardo Almeida
 
Os piolhos nascem na s cabeças das pessoas. Eles reproduzem-se muitas vezes. Os piolhos fêmea põem ovos até fartar. Os ovos parecem-se com caspa e são muito difíceis de retirar. Ao fim de 8 a 10 dias, os piolhos saem do ovo. Alguns piolhos vivem quase 2 ou 3 meses.
Pedro Mergulhão
 
Os piolhos são insectos pequenos que provocam comichões e alimentam-se do nosso sangue. Os piolhos têm seis perninhas que permitem agarrarem-se aos nossos cabelos.
Os piolhos fêmea põem dez ovos por dia e esses ovos chamam-se lêndeas.
Para os expulsarmos podemos lavar a cabeça com sumo de limão, lavar a cabeça duas vezes ao dia com chá morno de arruda ou chá de erva-doce ou usar os champôs da farmácia.
Mónica Sofia
 
Os piolhos são insectos parasitas pequenos que não têm asas; têm seis patas que se agarram ao cabelo dos humanos.
Eles gostam de viver no pescoço ou atrás das orelhas, que são sítios mais quentes. Os piolhos são transparentes e por isso são difíceis de detectar. Alimentam-se quatro vezes ao dia, mordendo o couro cabeludo e injectando a sua saliva que causa irritação e comichão.
Os piolhos fêmea põem dez ovos por dia, que ficam presos na raiz do cabelo. Eles saem dos ovos ao fim de 8 a 10 dias.
Nem sempre os champôs que compramos são eficazes no combate aos piolhos. Os piolhos são um meio de transmissão de doenças que podem contribuir para a diminuição da nossa concentração nas aulas.
Lurdes Sofia Almeida
 
As lêndeas não são piolhos. As lêndeas são ovos que ainda não rebentaram ou cápsulas vazias de piolhos recém-nascidos.
Os piolhos são transparentes. Um piolho adulto mede entre a 3 a 4 mm, o tamanho aproximado de uma semente de sésamo. As fêmeas são maiores.
Ana Raquel Lopes
 
As lêndeas põem 10 ovos por dia. Os piolhos são transparentes e têm 2 a 3 meses de vida.
Quando se alimentam do nosso sangue, os piolhos ganham uma cor castanho-avermelhado…
Mariana Costa Duarte
 
Os piolhos são insectos pequenos que não voam como as moscas ou mosquitos. Têm seis patas para se prenderem aos nossos cabelos.
Fiquei a saber que vivem no cabelo humano e que gostam mais do nosso pescoço e daquele espaço atrás das orelhas. É horrível tirar os piolhos por que são difíceis de detectar. Os piolhos adultos são grandes como uma semente. Para se alimentarem, mordem o nosso couro cabeludo e é aí que começamos a sentir comichão.
Não quero ganhar piolhos porque assim teria de cortar os meus cabelos compridos!
Luana Vanessa Silva
 
Os piolhos são insectos pequenos e sem asas.
Quando sentirmos comichão no cabelo, devemos pedir aos nossos pais para nos verem a cabeça. Eles alimentam-se do nosso sangue.
Se os tivermos, teremos de fazer uma limpeza utilizando produtos adequados mas não só na cabeça. È importante também mudar a roupa da cama, as almofadas, as escovas do cabelo…
Cátia Sofia Ferreira
 
Os piolhos são parasitas. Devemos ter cuidado com os nossos cabelos porque é contagioso. Devemos estar com atenção aos nossos cabelos. A higiene em primeiro lugar!
Gabriela Filipa Martins
 
Se tivermos piolhos, tudo o que diga respeito à nossa roupa, lençóis… devem ser lavados em água bem quente que matará aqueles parasitas e impedirá que se reproduzam.
Jorge Emanuel Silva
 
Os piolhos comem sangue da nossa cabeça. Eles chupam o nosso sangue aí umas quatro vezes ao dia!
Os piolhos gostam de sítios quentes do nosso corpo.
Miguel Jorge Cruz
 
Os piolhos são insectos sem asas. Têm seis patas e são invisíveis quando estão nos nossos cabelos.
Fábio Martins
 
Os piolhos fêmea põem até 10 ovos por dia. Os ovos, que se parecem com caspa, ficam presos perto do couro cabeludo. As lêndeas são ovos que  ainda não eclodiram.
Davi Raborg Santos


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 10:32
Quinta-feira, 07 de Maio de 2009

O que são piolhos?

Os piolhos são insectos pequenos e sem asas. Como todos os insectos, têm seis patas que usam para se agarrar ao cabelo. Os piolhos vivem apenas no cabelo humano. Frequentemente preferem sítios quentes como o pescoço ou a zona atrás das orelhas.
Os piolhos são transparentes. O que os torna difíceis de detectar no cabelo. Um piolho adulto tem entre 3 a 4 mm, o tamanho aproximado de uma semente de sésamo. As fêmeas são maiores. Quando se alimentam, os piolhos tornam-se castanho avermelhados.
Os piolhos alimentam-se de sangue humano. Isto acontece quatro vezes por dia. Eles mordem o couro cabeludo e injectam saliva, o que causa irritação e comichão. Longe do cabelo humano e por isso longe do sangue, não sobrevivem mais do que 2 ou 3 dias.
Lêndeas não são piolhos. As lêndeas são ovos que ainda não eclodiram ou cápsulas vazias de piolhos recém nascidos. Encontrou lêndeas no seu cabelo? Isto não quer necessariamente dizer que está infestado com piolhos, mas as probabilidades são consideráveis. Por esta ordem, eis fotos de uma lêndea, de um piolho recém-nascido e de um piolho adulto.
 
 

O ciclo de vida de um piolho

Os piolhos reproduzem-se muito rapidamente. Os piolhos fêmea põem até 10 ovos por dia. Os ovos, que se parecem com caspa, ficam presos perto do couro cabeludo, na raiz do cabelo. São muito difíceis de retirar.
Os piolhos saem do ovo ao fim de 8 a 10 dias. Após 10 a 12 dias, os piolhos recém-nascidos tornam-se adultos e estão prontos para pôr ovos.
Os piolhos vivem 2 a 3 meses. Nesse período de tempo, os piolhos fêmea põem entre 200 a 300 ovos. 

Combate aos piolhos

Nem sempre a limpeza das cabeças é a mais adequada para a eliminação de parasitas. Aliás, muitas vezes a informação que acompanha os frascos de champô: “mata piolhos e elimina lêndeas”; além de ser exagerada, não é a mais adequada a uma limpeza e eliminação total destes parasitas. Estes champôs, que prometem um tratamento eficaz no combate, eliminam apenas piolhos e uma baixa percentagem de lêndeas o que se não forem prontamente removidos de outra forma (na totalidade), poucos dias depois a cabeça estará novamente infestada com piolhos e novas lêndeas.
Lembra-te que cada piolho põe por dia cerca de 10 lêndeas e se estas não forem removidas após a lavagem com o champô, poucos dias depois darão origem a novos piolhos e assim sucessivamente ( 3 piolhos põem diariamente 10 lêndeas o que ao fim de uma semana, se entretanto as lêndeas não eclodirem em piolhos, teremos já 210 lêndeas e por aí adiante ).
Os piolhos também são um meio de transmissão de doenças e que poderão contribuir para a diminuição da concentração.
Lembra-te que não chega lavar com o champô de tratamento e o pente fino a cabeça se a limpeza não se realizar no seio de toda a família. Neste batalha, ainda se terá de acrescentar a limpeza das roupas da cama e almofadas. Só desta forma conseguirá erradicar de uma vez por todas esta praga.
 

 

Para Pais/Adultos

 

Por tudo isto, conclui-se que os piolhos são contagiosos , repartem-se em três géneros de piolhos. Contudo, todos eles são muito minúsculos, alimentam-se de sangue e procriam-se com muita facilidade. O problema principal é que os piolhos acabam por ser muito incomodativos, provocando muita comichão. Os três tipos de piolhos a conhecer, podem ser os que se localizam no couro cabeludo, no corpo ou nos pêlos púbicos. Normalmente, os piolhos só se transmitem se for através do contacto íntimo.Em consequência, deve lavar-se a cabeça durante duas semanas, duas vezes e, utilizar um amaciador para retirar os nós do cabelo. Ainda antes de retirar o champô, pentear-se com um pente muito fino para que não seja necessário utilizar outro produto de natureza insecticida.As crianças gostam de brincar umas com as outras, não queira que o/a seu/sua filho(a) fique excluído daquilo que mais gosta de fazer. Dispense algum do seu tempo para combater esta praga.

Pense no bem-estar do seu filho!!!

 

Tudo o que diga respeito à sua pessoa (roupa, lençóis, escovas e todos os outros adereços) devem ser lavados durante dez minutos com água bem quente. A temperatura elevada da água tem o efeito de matar os ditos invasores e terminar com a sua presença, bem como com a reprodução dos ovos. Mas, se preferir, pode também recorrer ás medicinas alternativas, usando um tratamento à base de ervas. O rosmaninho e o tomilho são muito recomendados.

 

 Abordagens naturais para eliminar piolhos
 

Lavar a cabeça 2 vezes ao dia com chá morno de arruda ou chá de erva-doce ou alternadamente. Enxaguar depois com sabão ou champô.

Lavar a cabeça com sumo de limão e são dissolvidos em água morna. Deixar ficar a agir por 20 minutos e depois enxagúe, em seguida massaje o cabelo / cabeça com abacate durante 5 minutos e finalmente enxagúe com sabão ou champô.



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 14:24
Segunda-feira, 27 de Abril de 2009

 Expliquemos o 25 de Abril.

Faz de conta que temos menos de dez anos... 

 

O nosso país vivia, antes do dia 25 de Abril de 1974 mergulhado na pobreza, na  tristeza e no medo. Durante mais de 40 anos, quem governou Portugal até esse dia foi Salazar e logo depois Marcelo Caetano. Foi a ditadura. Por  isso não havia democracia: não se realizavam eleições livres e ficavam sempre os mesmos a mandar. As pessoas não tinham liberdade para dizer o que pensavam sobre o governo. Havia uma polícia política que vigiava, prendia e torturava quem tivesse ideias contrárias às do governo. Era a PIDE  (Polícia Internacional de Defesa do Estado).
Com o 25 de Abril, muito mudou em Portugal: acabou a ditadura e começou a democracia. Isto é, o povo português passou a ter liberdade porque aconteceu uma revolução, que se chamou a "Revolução dos Cravos". As pessoas saíram à rua para comemorar a festa da Democracia, com os soldados que nos libertaram da ditadura. Toda a gente se abraçava. Os soldados colocaram cravos nos canos das suas espingardas porque nem uma bala tinha sido disparada. Muitos distribuíam cravos vermelhos. As pessoas gritavam «O POVO, UNIDO, JAMAIS SERÁ VENCIDO!».
Foi assim que o dia 25 de Abril passou a ser celebrado como o «DIA DA LIBERDADE» e ainda hoje é feriado nacional.


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 13:24
Quinta-feira, 09 de Abril de 2009



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 21:52
Quinta-feira, 26 de Março de 2009

FOMOS PREMIADOS!

Participámos no Concurso "SMS Amizade", promovido pela Bibioteca da EB 2/3 Dr. José Pereira Tavares. Escrevemos mensagens num telemóvel que "descarregamos" na página web da biblioteca e, ao que parece, os nossos sms's foram apreciados...

Recebemos prémios individuais e um colectivo, para toda a turma.

Estamos muito contentes. Foi uma bela notícia neste fim de 2.º período!

A senhora professora Célia Mateus, do Executivo, veio à nossa escola entregar-nos pessoalmente os prémios. Estamos muito orgulhosos!



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 14:52

PLANTÁMOS UM AZEVINHO

Na passada semana, a nossa escola comemorou o Dia da Árvore e da Floresta. Com a ajuda da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, plantámos um azevinho. Fizemo-lo em conjunto com todos os nossos colegas das outras turmas e com os nossos amiguinho da Pré.

Antes de cantarmos umas canções que aprendemos, investigámos a planta que foi escolhida: o azevinho.

Trata-se de uma planta de folha persistente; dá flores brancas (até 1 cm de diâmetro), que aparecem no período de Abril a Junho. As folhas são onduladas e de margem espinosa ou lisa; tem uma nervura verde clara. Dá frutos carnudos pequenos, de cor vermelha alaranjada ou amarela. Tem um crescimento lento e pode ter um tempo de vida que pode atingir os 300 anos! Sobre a sua dimensão, pode chegar aos 20 metros de altura.

Para se desnvolver, prefere locais frescos e solos de granito. É frequentemente encontrada em carvalhais e nas margens de cursos de água, em especial no norte e centro de Portugal Continental.

Serve para enfeitar, principalmente no Natal. Tem uma madeira muito dura e densa utilizada para certos trabalhos em marcenaria. É uma espécie protegida por Lei.

 

Pesquisa sobre o Dia da Árvore

A comemoração oficial do Dia da Árvore teve lugar pela primeira vez no estado norte-americano do Nebraska, em 1872. John Stirling Morton conseguiu induzir toda a população a consagrar um dia no ano à plantação ordenada de diversas árvores para resolver o problema da escassez de material lenhoso.

A Festa da Árvore rapidamente se expandiu a quase todos os países do mundo, e em Portugal comemorou-se pela primeira vez a 9 de Março de 1913.

Em 1971 e na sequência de uma proposta da Confederação Europeia de Agricultores, que mereceu o melhor acolhimento da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), foi estabelecido o Dia Florestal Mundial com o objectivo de sensibilizar as populações para a importância da floresta na manutenção da vida na Terra.

Em 21 de Março de 1972 - início da Primavera no Hemisfério Norte - foi comemorado o primeiro DIA MUNDIAL DA FLORESTA em vários países, entre os quais Portugal.



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 14:30
Terça-feira, 17 de Março de 2009

 

 
 
O meu pai é querido, é meu amigo e brinca comigo. Às vezes, jogamos snooker, matrecos e futebol.
Quando está bom tempo, vai a família toda andar de bicicleta ou passear. Eu gosto muito do meu pai!!
Leonardo Filipe Almeida
 
 
O meu pai é muito meu amigo. Brinco com ele aos sábados e aos domingos. Andamos de bicicleta e de patins
Quando não tenho escola, quero sempre viajar no camião com o meu pai. Ele é o meu melhor amigo.
Mónica Sofia Oliveira
 
 
O meu pai é o melhor pai do mundo! Deixa-me brincar com as ferramentas. O meu pai é trabalhador; gosto de brincar com ele. Ele também joga às cartas comigo e snooker no bar da minha casa. Às vezes, compra-me lambarices que eu gosto. O meu pai fez todo o trabalho de electricidade e de pichelaria na nossa casa nova. Eu ajudei-o a puxar os fios…
Miguel Jorge Cruz
 
 
O meu pai é uma pessoa muito ocupada. Ele é mecânico e tem uma coelheira. Por isso, chega todos os dias tarde a casa.
Mas ainda arranja algum tempo para brincar comigo e a minha irmã Daniela. Gosto muito do meu pai!!
José Pedro Pereira
 
 
Eu gosto do meu pai. Às vezes, ando com ele de bicicleta. Aos domingos, passo a manhã com ele: vamos tomar o pequeno-almoço. Com três letrinhas se escreve a palavra PAI. Mas com Respeito e Educação, eles fazem tudo pelos seus filhos.
Gabriela Filipa Correia
 
 
O meu pai ajuda-me a fazer os trabalhos de casa; joga futebol comigo e lava-me ao McDonald’s onde também me compra rebuçados.
É muito brincalhão. Nos tempos livres, brinca comigo e leva-me ao Estádio do dragão. Educa-me para quando for grande.
Pedro Alexandre Mergulhão
 
 
Eu gosto muito do meu pai.
O meu pai ajuda-me a fazer os trabalhos de casa e brinca muito comigo.
Tenho muito orgulho do meu pai. É o melhor pai do mundo!
Jorge Emanuel Silva
 
 
 
O meu pai é o meu ídolo. Quando crescer, quero ser como ele: trabalhador. É amigo, compreensivo e meigo. Dá-me tudo o que quero; só quando não pode…
Quando tenho dúvidas nos trabalhos de casa, ajuda-me. Adoro-o muito!
Mariana Costa Duarte
 
 
Eu gosto do meu pai. Ele trabalha na madeira com os amigos. Gosto do meu pai porque me compra chocolates e chicletes. Às vezes, é bom para mim.
No Natal, compra bicicletas e mais coisas.
Fábio Marques Pereira
 
 
O meu pai é o meu melhor amigo. Se não fosse ele, não existia. Quantas vezes é ele que me vem deitar para dormir?! Quando lhe peço alguma coisa, ele dá-me. Às vezes, não me dá logo para me castigar…
Cátia Sofia Ferreira
 
 
O meu pai é muito amigo: ajuda-me a fazer os trabalhos de matemática.
Por vezes, vai ao café e traz-me rebuçados. O meu pai também vai ao supermercado e compra-me coisas que adoro.
Lurdes Sofia Almeida
 
 
Para mim, o meu pai é o melhor pai do mundo. É uma das pessoas mais importantes na minha vida. É por isso que gosto muito dele!
Luana Vanessa Silva
 
 
O meu pai é o melhor do mundo! Está sempre atento ao meu bem-estar. Às segundas-feiras, vai levar-me aos treinos de futebol. É um pai exemplar.
Só queria uma coisa do meu pai: que deixasse de fumar. Era uma alegria para toda a minha família.
Fábio Marques Martins
 
 
O meu pai ensinou-me a andar de bicicleta aos sete anos. Gosto muito dele. E quando é para ir para a escola, fico muito tempo na cama. De vez em quando, chego atrasado à escola. Gosto 10 000% dele. Dá-nos muitas coisas.
Davi Raborg Santos
 
 
Pai, gosto muito de ti porque me dás tudo que preciso. Gosto quando me levas ao colo para a cama, quando me levas o leite ao quarto. Gosto quando me vais dar um beijinho à cama.
João Paulo Azevedo
 
 
O meu pai sempre foi uma pessoa muito bem-disposta. Sempre demonstrou muito carinho pela família.
Ele era espectacular.
Ana Raquel Lopes


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 10:06
Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2009

 

Como estamos em tempo dele, saibamos que existem explicações para a origem da palavra Entrudo. Passemos a explicar uma delas.
Entrudo é a antiga denominação portuguesa para o período de três dias de divertimento que precedem imediatamente a entrada da Quaresma. Esse termo provém do latim introitus, que significa "entrada". A palavra Entrudo começou por designar apenas a noite de terça-feira, portanto, de entrada na Quaresma, mas, posteriormente, alargou-se ao período desses três dias, de domingo a terça-feira. Essa palavra passou a ser substituída pela palavra Carnaval a partir do século XVIII.
O costume de se brincar no período do carnaval foi introduzido no Brasil pelos portugueses, provavelmente no século XVI, com o nome de Entrudo.
Já na Idade Média, costumava-se comemorar o período carnavalesco em Portugal com toda uma série de brincadeiras que variavam de aldeia para aldeia. Em algumas notava-se a presença de grandes bonecos, chamados genericamente de "entrudos".
Ainda resistem em Portugal algumas celebrações do Entrudo que mantêm a sua singularidade, de acordo com as nossas tradições: Ovar, Torres Vedras, Alcobaça, Bragança, Loulé entre outros.
Passemos a explicar um dos Entrudos mais originais.
Em Lazarim (Trás-os-Montes), o Entrudo é uma festa local, quase privada, cuidadosamente preparada nas semanas que a antecedem. O ponto alto é a leitura pública das «deixadas», testamentos que dividem simbolicamente um burro pelos rapazes e raparigas da aldeia. Jocosas, trocistas e irónicas, são preparadas em segredo pelos mais novos, que muitas vezes recorrem à sabedoria e conhecimento dos mais velhos, repetindo a tradição. Os testamentos são ouvidos em silêncio pelos mascarados para não serem reconhecidos pelas vítimas das suas diabruras.
Mas a festa não fica completa sem o Desfile de Caretos (um Careto é um homem disfarçado que anda pelas ruas com uma máscara que serve para meter medo, fazendo de diabo à solta), o Concurso de Máscaras (feitas em madeira pelos artesãos locais) e a Queima dos Compadres - o compadre e a comadre, dois bonifrates carregados de pólvora e que, na terça-feira, põem ponto final à festa e à rivalidade que durante várias semanas opôs rapazes e rapariga.
    
 Webgrafia:
·     http://pt.wikipedia.org/wiki/Careto                                         
·         http://ciberduvidas.sapo.pt/idioma.php?rid=1589
·         http://www.cmmirandela.pt/index.php?oid=3952
·        http://pt.wikipedia.org/wiki/Entrudo                                                            
  • Trabalho de pesquisa feito pelos alunos do 3.º ano, com a colaboração da docente de Informática, a Prof.ª Sara Costa.

     

 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 21:42
Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

 

A Árvore dos Três Desejos

 Já refeitos do susto, continuaram pelo bosque sem destino certo.
Ao fim de poucas horas, caiu a noite. Estava um frio de tremer o dente a qualquer rato. O vento soprava forte e as folhas levantavam-se do chão em remoinho. Não tardou muito para a chuva se juntar aos seus amigos vento e frio.
Atrevidos e Sabichão deram corda às suas patitas para fugirem do mau tempo. Rapidamente encontraram um tronco de uma árvore bem velha. Não sabiam eles que aquela era a Árvore dos Três Desejos…
            Abrigados da tempestade, deitaram-se em duas folhas grandes, bem secas e por isso, quentinhas. Sabichão estava agora relaxado. De patas cruzadas, disse para o seu companheiro:
- Ó Atrevido, sabes o que ia bem agora?
O colega de aventura logo respondeu:
- Não... – para logo de seguida dizer bem alto – talvez um queijo bem grande!
Qual não é o espanto quando, num passe de mágica, aparece dentro do tronco um queijo bem apetitoso.
Sabichão e Atrevido estavam confusos mas deliciados. Tudo aquilo parecia um banquete!
Para nós, que sabemos que aquela era a Árvore dos Três Desejos, ainda restavam dois pedidos…
Com as barriguitas inchadas de tanto queijo comer, Sabichão suspirou com mais um desejo:
- O que faz falta depois disto é uma tigela de boa água…
E não é que a tigela apareceu do nada para o meio dos dois?! Pasmados, beberam até fartar.
Contudo, começaram a desconfiar que era sorte a mais. Foi então que Sabichão se lembrou que poderiam estar numa árvore mágica.
Estavam a falar dessa magia, quando, lá fora, a tempestade ficava cada vez mais feia. Foi quando um relâmpago cortou ao meio a árvore que logo se incendiou.
Nesta altura, Atrevido e Sabichão só tiveram tempo para pedir:
- Quem nos dera que a tempestade acabasse!
Estava dito o terceiro desejo. Mas como torná-lo verdade se a Árvore dos Três Desejos estava queimada?
PS - História a ser continuada pelos alunos da EB1 de Serrazina n.º 3 - Brejo.
(Os alunos da Turma C, do 3.º Ano, da EB 1 do Curval – Pinheiro da Bemposta.)


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 09:44
Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

2x1=2 (atenção aos bois!)

2x2=4 (vamos ao teatro!)

2x3=6 (tenho novos anéis!)

2x4=8 (come um biscoito!)

2x5=10 (vai lavar os pés)

2x6=12 (ganhei uma taça de bronze)

2x7=14 (já vi uma urze...)

2x8=16 (acabaram-se os pincéis)

2x9=18 (estamos feitos num oito!)

2x10=20 (vem aí um pedinte)

 

 

 

3x1=3 (vamos jogar xadrez!)

3x2=6 (vamos cantar os Reis!)

3x3=9 (já não chove)

3x4=12 (ela só tem pose!)

3x5=15 (cuidado com o deslize!)

3x6=18 (ele é muito afoito!)

3x7=21 (o foguete faz pum! Pum!)

3x8=24 (de quem é este prato?)

3x9=27 (ele toca trompete)

3x10=30 (escolhe tu a tinta.)

 

4x1=4 (vai a Gabi com o pato)

4x2=8 (hoje aqui pernoito)

4x3=12 (que é 26 menos 14...)

4x4=16 (vamos para os carrocéis!)

4x5=20 (não há quem o pinte!)

4x6=24 (já sei fazer o quatro)

4x7=28 (10 mais 18 são 28!)

4x8=32 (vens aqui depois)

4x9=36 (vamos cumprir as leis!)

4x10=40 (ou vai ou rebenta!)

 

5x1=5 (o Leo vai ao circo)

5x2=10 (não dês pontapés!)

5x3=15 (Portugal está em crise)

5x4=20 (queremos que o Ronaldo finte!)

5x5=25 (perdi-me no labirinto)

5x6=30 (tenho mesmo boa pinta!)

5x7=35 (fechei a porta ao trinco)

5x8=40 (gosto do sabor a menta)

5x9=45 (se não fizer os trabalhos, não brinco)

5x10=50 (ai que o professor não aguenta!)

 

6x1=6 (cala a boca e não me chateies!)

6x2=12 (ganhaste a medalha de bronze)

6x3=18 (10 mais oito são dezoito)

6x4=24 (não desarrumes o quarto!)

6x5=30 (fiz um grafiti com pinta)

6x6=36 (rasga esses papéis!)

6x7=42 (quem pasta são os bois!)

6x8=48 (que frio! Já é de noite!)

6x9=54 (tira as pulgas ao gato!)

6x10=60 (não gosto de pimenta)

 

7x1=7 (quem não pode promete)

7x2=14 (é mais que doze...)

7x3=21 (vou comer atum)

7x4=28 (vou comer condoito)

7x5=35 (aperta o cinto!)

7x6=42 (atenção aos canhões!)

7x7=49 (ele que a sopa prove)

7x8=56 (que fiquem os dedos e os anéis)

7x9=63(vamos todos falar inglês!)

7x10=70 (a noite está cinzenta)

 

8x1=8 (outra vez o biscoito!...)

8x2=16 (pertenço a Oliveira de Azeméis)

8x3=24 (ontem comi arroz de pato)

8x4=32(tu vendes fogões e ele melões)

8x5=40 (fiz um desenho na sebenta)

8x6=48(andei no baloiço)

8x7=56 (adorei os paineis)

8x8=64 (tenho uma moto 4)

8x9=72 (Ah!! Pois, pois...)

8x10=80 (e o cão senta!)

 

9x1=9 (nada o demove...)

9x2=18 (não sejas tão afoito!)

9x3=27 (já não uso babete...)

9x4=36 (tenho ali um monte de papéis!)

9x5=45 (o avô só bebe vinho tinto)

9x6=54 (calça o sapato!)

9x7=63 (Olá Inês!)

9x8=72 (é um par de dois...)

9x9=81 (nove macacos e tu és um!)

9x10=90 (olha que o balão rebenta!)

 

 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 11:25
Sábado, 10 de Janeiro de 2009

 Campanha de solidariedade

acaba com Chave d'Ouro 

 
"…as cores das paredes eram vivas e também estava
tudo muito arrumado”
No dia 6 de Janeiro, pela manhã, saímos em visita de estudo, com o Jardim, para visitar as crianças da AHMA.
Primeiro, foi a turma do 1º ano e as crianças do Jardim-de-Infância ver os quartos enquanto nós ficámos a lanchar.
Chegou a nossa vez e quando entrámos, vimos o nome e a fotografia da criança que lá dormia. Eu gostei dos quartos porque tinham bonecos, as cores das paredes eram vivas e também estava tudo muito arrumado.
Depois de vermos os quartos, fomos brincar para o exterior. Existia um escorrega, um baloiço e outro escorrega em forma de barco.
Houve uma altura que eu, a Mariana e a Cátia nos fomos sentar. Nessa altura, apareceu uma empregada com um menino.
Nós brincámos com ele; ele ria-se de muito contente.
Depois, os professores chamaram-nos para irmos cantar uma canção do Dia dos Reis.
Todos os meninos e meninas ficaram muito contentes.
No fim, mesmo no fim, oferecemos os presentes que trouxemos.
Eu adorei este dia! Foi fantástico!                                                             
Ana  Lopes
                                             
 
“...os quartos que eram muito giros: tinham janelas muito grandes para entrar o sol”
No dia 6, pela manhã, fomos a Albergaria conhecer a instituição AHMA e lá entregar roupas e brinquedos. Vimos os quartos que eram muito giros: tinham janelas muito grandes para entrar o sol. Brincámos no escorrega muitas vezes e noutro escorrega que era um barco.
Davi Santos.
 
“Eles estão lá a viver muito felizes!”
Gostei muito. Os quartos eram coloridos, de cores vivas. Tinham janelas muito grandes; havia muita claridade. Até tinham muitos bonecos da Disney e do Bamby.
O refeitório tinha de mesas pequeninas, um quarto de brincadeira e um sofá.
Cá fora, havia um espaço grande com escorregas, baloiços e um “sobe e desce”, trotinetes, carros pequenos…
Eles estão lá a viver muito felizes!
Mariana Costa Duarte.
  
 
“Tinham janelas muito grandes…”
No dia 6, fomos à AHMA. Aprendi muitas coisas. Vi os quartos e eram muito bonitos. Um tinha uma bola porque era o quarto do António. Lanchámos nas mesas pequeninas onde estava um carrinho. Depois fomos brincar para o jardim. Tinham janelas muito grandes que davam para ver os brinquedos de um quarto para o outro. Fomos andar no escorrega. Vimos a casinha de madeira.                                                                               
Gabriela Correia
 
“tivemos a sorte de brincar com os brinquedos dos meninos”
No dia 6 de Dezembro, visitámos uma instituição. Fomos de autocarro; o meu par foi a Luana. Quando chegámos, sentámo-nos no chão. Ouvimos a doutora apresentar a AHMA e fomos ver os quartos. Enquanto uns foram ver, outros lanchavam. Depois tivemos a sorte de brincar com os brinquedos dos meninos. Gostei muito.
José Pedro
 
“Os quartos deles eram coloridos…”
Foi no dia 6 de Janeiro. Gostei de visitar as crianças. Eram 10 crianças sem ali terem os pais. Os quartos deles eram coloridos, com cores vivas e lindas. As crianças eram humanas, com olhos simpáticos. Elas precisam de carinho e amor. Nos fomos lá oferecer presentes. Também fomos fazer uma visita. Eles ficaram felizes por irmos visitá-los.
Miguel Cruz
 
 
 
 
“brinquei no escorrega e andei no balancé..”
Gostei muito. Vi os quartos dos meninos. Eu brinquei no escorrega e andei no balancé e vi três meninos que não conhecia. Tinham brinquedos para se divertirem. A senhora doutora esteve a fazer perguntas e nós respondíamos. No fim, cantámos aos meninos a canção dos Reis que tínhamos ensaiado.
Mónica Sofia.   
 
 
“Foi muito bom!”
Visitámos uma instituição que se chama Associação Humanitária Mão Amiga campanha de solidariedade manhã.
Eu fui jogar futebol.
Chegámos e fomos lanchar para uma sala que era bonita. Vi que na televisão estava a dar o Noddy. Tinham as janelas grandes para bater o sol.
De seguida, pudemos andar no carrossel, jogar basquetebol, enfim, brincámos muito!
Fábio Martins  
  
        
 
“Gostei dos quartos; todos tinham uma janela muito larga”
Pela manhã, fomos em visita de estudo à AHMA, que quer dizer Associação Humanitária Mão amiga. Foi lá que fizemos a entrega das roupas e dos brinquedos da campanha de solidariedade da nossa escola.
Gostei dos quartos; todos tinham uma janela muito larga, sem cortinas para entrar o sol.
Fomos lanchar. Gostei quando comi sentado em frente ao espelho.
Andei no balancé, no escorrega e andamos a atirar a bola pelo ar.
Gostei.
Pedro  Mergulhão
 
“Depois, apareceu o Alberto…”
Na terça-feira, dia 6 de Janeiro, fomos visitar uma instituição muito bonita: a AHMA. A primeira coisa que fizemos foi lanchar; depois conhecemos os quartos. Brincámos no escorrega, no baloiço e basquetebol. Depois, apareceu o Alberto, um menino que vive agora na casa. Gostei.   
João Paulo
 
“Adorei este dia! Foi fantástico.”
Dia 6 de Janeiro fomos visitar uma Associação Humanitária, em Albergaria.
Estivemos a brincar, a conhecer alguns quartos. E também conhecemos alguns meninos. Apareceu um menino chamado Alberto, que era parecido com o Bernardo, e o Cristiano.
Entregámos brinquedos, roupa, peluches e outras coisas para bebés.
Adorei este dia! Foi fantástico.
Leonardo Almeida.
  
Da esquerda para a direita: Prof. Mário Rui Lopes
(Presidente do órgão de gestão do nosso Agrupamento); Prof. José Manuel Alho e o Director da AHMA, Dr. Torres e Menezes.
 
“Gostei muito deste maravilhoso dia!”
No dia 6 de Janeiro, a escola e.b.1 do Curval foi visitar uma instituição chamada AHMA e levámos roupas para as crianças, que ficaram todas contentes.
Ainda brincámos no escorrega e no baloiço.
Pudemos ver os quartos com cores vivas e janelas bem grandes para deixar entrar a luz do sol; nem tinham cortinas.
Também vimos uma botija de oxigénio que era para uma criança com problemas de pulmões.
Gostei muito deste maravilhoso dia!
                                   Lurdes Sofia.
 
 
“E cantámos a canção dos Reis!”
Fomos visitar os meninos que não podem estar com as famílias. Isto foi no dia 6 de Janeiro pela manhã. Gostei muito dos quartos: coloridos e animados.
Fomos lá para entregarmos roupas, brinquedos da nossa campanha.
E cantámos a canção dos Reis! 
Foi uma manhã divertida!
Luana Vanessa
      
“…um bebé ao colo, que era muito simpático”
 
Eu gostei de ver o refeitório dos meninos. Era grande. Também gostei quando chegou a nossa vez de ver os quartos. Eram bonitos, com cores muito lindas e alegres.
Quando a senhora disse que era para ir para fora, gostei de ver os escorregas e de experimentar todas aquelas brincadeiras.
Vi uma senhora com um bebé ao colo, que era muito simpático.
Adorei de ver a casinha de madeira!
Cátia Sofia.   
                  
“Os meninos eram muito queridos e lindos.”
 
Fomos conhecer as instalações da AHMA – Associação Humanitária Mão Amiga. Fomos entregar as roupas e os brinquedos da nossa campanha de solidariedade. Os meninos eram muitos queridos e lindos.
Até tinham brinquedos e um escorrega.
Tinham uma casa de madeira. Gostei muito!
Conhecemos o Alberto que tinha uma bola para jogar com os amigos.
Os quartos eram lindos: o quarto do Alberto, dos bebés…
Havia relva para brincar.
E tinha bebés. Nós comemos no refeitório deles.
Outros estavam na escola; e jogámos à bola e receberam roupa e muitas outras coisas.
Fábio Pereira
              
 
 
 


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 22:46
Sexta-feira, 02 de Janeiro de 2009

FOI UM ESPECTÁCULO!

No passado dia 19 de Dezembro, a nossa escola organizou a Festa de Natal no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Pinheiro da Bemposta.

As nossas famílias apareceram em peso. A nossa turma preparou-se durante pouco mais de duas semanas. As nossas habilidades acrobáticas parece que agradaram ao público. Não houve enganos. As canções "Rodolfo" e "Dançando à volta do Pinheiro" correram-nos bem.

Os nossos colegas das outras turmas, bem como os meninos e meninas da Pré, também estiveram muito bem. E não esqueçamos que a Ana Lopes fez boa figura como apresentadora.

Foi mesmo um espectáculo!

 

 

 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 23:09
Quinta-feira, 01 de Janeiro de 2009

 Sim

85% (34)

Não

5% (2)

Talvez

10% (4)

TOTAL de votos

 

 

 

100% (40) 

 

Pergunta: Pensa oferecer um livro a uma criança neste Natal?

 

Livros como presentes

de valor acrescido

Nesta votação online, perguntámos se neste Natal pensava oferecer a uma criança um livro como presente. Num total de 40 participações, 85% (34) declararam fazer parte das suas prioridades adquirir um livro. Não deixa de ser um bom sinal.
Apesar de não termos como verificar se essas boas intenções se vieram mesmo a concretizar, a simples consciência de que oferecer um livro será, antes de tudo, uma manifestação de bom gosto mesclado com inteligência, constitui um sintoma de potencial evolução nas prioridades de quem aceita contribuir para o bem-estar dos nossos amigos, principalmente no caso de crianças em formação. Oferecer um livro foi, é e será sempre um sintoma de valorização pessoal não só para quem o recebe, mas também para quem se disponibiliza a fazer uma boa escolha.

Prof. José Manuel Alho



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 00:30
Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

 

 TRUQUES PARA DAR SORTE

À porta de um novo ano, fazem-se planos e recuperam-se desejos antigos que foram sucessivamente adiados. Mantém-se, sobretudo, a esperança de que o ano que vem seja melhor que este.
As pessoas têm tradições que gostam de respeitar para terem sorte. Por exemplo:
- comer 12 passas, uma por cada badalada;
- quando toca a primeira badalada, subir para cima de uma cadeira, com a perna direita (isto é muito importante para entrar o ano com o pé direito!);
- ter dinheiro na mão, não importa quanto, nesta entrada do novo ano;
- pensar em um ou mais desejos enquanto se comem as passas;
- beber champanhe após as passas (para irem para baixo) e para brindar o novo ano!
- dar um beijão na pessoa amada e um beijinho nas outras que estejam presentes nessa altura, fazendo votos que o ano seja muito bom;
- telefonar aos familiares e amigos mais chegados que não estão ao pé de nós, para igualmente desejar um ano novo fantástico.
Já para resolver os problemas económicos, é melhor vestir qualquer peça de roupa amarela e colocar uma nota dentro do sapato. Quando der a meia-noite, diz-se que se deve atirar moedas e notas ao ar para atrair riqueza para todas as pessoas que nela moram. Se, entretanto, sentir alguma comichão na palma da mão direita, é sinal que teve sorte, pois o orçamento irá ficar mais recheado. Se sentir o mesmo na mão esquerda... azar. É melhor tentar outra coisa.
Bem mais saboroso é roer sete sementes de romã na noite da passagem de ano, embrulhá-las num guardanapo e guardá-las na carteira. Os brasileiros fazem muito isso. Ou então, experimente colocar uma folha de louro na carteira e deixa-a lá no ano inteiro. As pessoas antigas dizem que é dinheiro na certa...
Ah! E não se esqueça: não passe a passagem do ano com os bolsos vazios, porque assim eles vão permanecer tal e qual o resto do ano! Também nada de roupa apertada - para não ter dificuldades económicas. Certifique-se que tem todos os buracos, rasgões ou botões da roupa cosidos, para atrair a boa sorte!
Um trabalho de Pesquisa da Turma C – 3.º Ano

  


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 00:34
Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008

Alice no País das Maravilhas

 

Ansiedade e expectativa dominaram os instantes

antes da exibição da peça...

 

 

A atmosfera era de alegria...

 

 

Durante a peça, até houve momentos de

participação muito entretida! 

 

 

 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 16:15
Segunda-feira, 08 de Dezembro de 2008

Eis a versão original da história

"A girafa Pescoço Alto"

 

A girafa Pescoço Alto estava magrinha e muito triste porque na selva não conseguia encontrar comida. As árvores tinham todas as folhas muito altas e ela nem con o seu longo pescoço conseguia lá chegar. Então andava com a cabaça pendurada. Mas os macacos que brincavam aos pulos nas árvores, ao olhar para a girafa, perguntaram-lhe:

- Amiga girafa, o que é que tens?

E a girafa respondeu:

- Não chego às folhinhas e tenho fome.

Os macacos fizeram uma reunião para deliberar o que haviam de fazer para ajudar a girafa. Quando acabaram chamaram-na e disseram-lhe:

- Girafa, vem aqui para baixo desta árvore.

Os macacos estavam todos nessa árvore e no mesmo ramo cheio de folhas. Então disseram à girafa:

- Vá, come agora.

E a girafa comeu e ficou cheia de forças.

Transformou-se na girafa com o pêlo mais brilhante e bonito da selva porque comia as folhas mais altas que os amigos macacos lhe davam, com toda a sua ginástica e brincadeira, ao empurrar os ramos para baixo até à altura do seu pescoço.

 

Maria Reis,

"7 Histórias Com Animais Selvagens",

Impala Editores (adaptado)



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 14:25
Quinta-feira, 04 de Dezembro de 2008

CONFAP destaca

os nossos trabalhos

A Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP) divulga a partir de hoje, na sua página na internet, como "destaque", o projecto que este blog promove bem como os trabalhos desenvolvidos pelos alunos e suas famílias.

Trata-se de um reconhecimento que não deixa de constituir motivo de orgulho e que nos dá aquele alento especial para prosseguirmos.

Para informação mais detalhada, visite http://www.confap.pt/desenv_noticias.php?ntid=1092



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 13:09
Segunda-feira, 01 de Dezembro de 2008

 

"exemplo de trabalho dedicado"

 
"Agradecemos a amabilidade de nos ter proporcionado a visualização deste bonito quanto enternecedor blog, com as actividades desenvolvidas com as crianças no projecto de incentivo à leitura e escrita, envolvendo outros membros da comunidade.
São exemplos como este, de trabalho dedicado, que nos fazem ter a certeza que uma escola e educação de qualidade é possível.
Bem haja!
 
Pel' O Conselho Executivo da CONFAP,
António Amaral
(Vice-presidente do CE)"
 
 
 
 
BELO TRABALHO!
Parabéns pela iniciativa.
 
O Director do CFAE
APereirAlmeida


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 23:38
Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008

História A

A Girafa Pescoço Alto estava magrinha e muito triste porque na selva não conseguia encontrar comida. As árvores tinham todas as folhas muito altas e nem ela com o seu longo pescoço conseguia lá chegar...

 

Tristinha, a Girafa Pescoço Alto sentou-se perto de uma árvore.

Começava a ficar noite. O sol já tinha desaparecido e a girafa estava com frio.

Uma leve brisa de Outono soprou e, no chão, junto da Girafa Pescoço Alto, iam caindo folhas das árvores.

A girafa começou a comer uma a uma, todas as folhas que ia apanhando do chão.

Como já era tarde e a sua barriguinha já estava satisfeita, dirigiu-se para casa.

(Família da Gabriela: Joaquim e Ângela)

 

Ao dirigir-se a casa, tão cansada, decidiu deitar-se na cama e... adormeceu.

De manhã, quando acordou, para ver se o que tinha acontecido no dia anterior fora real, dirigiu-se às arvores perto de sua casa.

Foi aí que reparou que o chão onde pisava estava coberto de folhas. Novamente com fome, ela voltou, toda contente, a comer, a comer até ficar com a barriga cheia!

(Pais da Luana: Albino e Andreia)

 

 

E assim, todos os dias, a Girafa Pescoço Alto caminhava para a selva para comer aquelas folhinhas saborosas que estavam caídas no chão.

Com o passar do tempo, a girafa notou que ia ficando mais forte. Estava tão feliz por estar mais forte!

Por isso, decidiu fazer da selva a sua única casa onde, além de comer, brincava, saltava e pulava com os outros animais amigos.

(Família do João Paulo - por Maria Alice)

 

 

FIM 

História B

A Girafa Pescoço Alto estava magrinha e muito triste porque na selva não conseguia encontrar comida. As árvores tinham todas as folhas muito altas e nem ela com o seu longo pescoço conseguia lá chegar...

 

...Um certo dia, já cansada desta situação, resolveu falar com o Macaco Brincalhão, que por sinal estava triste por não ter ninguém com quem brincar.

- Bom dia senhor Macaco Bricalhão! Tenho uma proposta a fazer-lhe: se você aceitar subir às árvores para trazer-me folhinhas que saciem esta fome que sinto, estou disposta a brincar consigo o resto do dia. Até lhe digo mais: deixo que suba ao meu pescoço e que faça dele um escorregão. O que lhe parece?

O Macaco Brincalhão ficou a pensar durante alguns segundos e rapidamente aceitou.

A partir daquele dia, nem a Girafa Pescoço Alto voltou a ficar triste por não chegar às folhas altas das árvores, nem o Macaco Brincalhão ficou infeliz por não ter com quem brincar...

(Família do Davi - Andrés e Mónica Raborg)

 

...e assim passavam os dias a brincar.

Um dia decidiram dar uma volta pela selva. Foi quando avistaram uma raposa a correr. Foram então em sua perseguição.

Quando finalmente a alcançaram, já muito cansados de tanto correr, perguntaram-lhe apenas:

- Queres brincar connosco?

A raposa, desconfiada, respondeu:

- Sim, quero.

Passadas algumas horas, já eram grandes amigos!...

(Família de José Pedro - Ofélio e Fátima)

 

Os dias foram passando e a girafa estava, apesar de tudo, mais magrinha.

Certo dia,  apareceram na floresta dois meninos. Os meninos tinham mudado de casa há pouco tempo e resolveram ir conhecer a selva já que ficava tão perto da sua casa.

Enquanto estavam a passear viram a Girafa Pescoço Alto a chorar e perguntaram-lhe o que se passava:

- O que é que tens? - perguntaram.

Eu não consigo comer as folhas das árvores... estão muito altas... - lamentou-se a Girafa.

- Nós vamos ajudar-te! - prometeram os meninos.

- Ah! Obrigada!! Sabem, tenho muita fome! - desabafou a Girafa.

Assim, e desde então, são aqueles dois meninos que todos os dias passaram a ir à selva levar a comida à Girafa Pescoço Alto.

(Família do Jorge Emanuel - Avelino e Vera)

FIM

 

História C

 

A Girafa Pescoço Alto estava magrinha e muito triste porque na selva não conseguia encontrar comida. As árvores tinham todas as folhas muito altas e nem ela com o seu longo pescoço conseguia lá chegar...

 

De repente, teve uma ideia "luminosa"!...

Se abanasse a árvore poderia acontecer que, pelo menos, algumas folhas caíssem.

Contudo, era só uma ideia... pois aquelas árvores grandes e frondosas nunca iriam sequer balançar com a força da pequena girafa, de tão debilitada que estavava...

Então, e após longos minutos de reflexão, descobriu que precisava mesmo era de alguém forte que a ajudasse a trepar até ao cimo de uma árvore!

E foi à procura...

(Família do Leonardo - Paulo e Bárbara)

A girafa andou para trás e para a frente e lembrou-se de que "para a frente é que é Lisboa"!

- Não posso desistir pois tenho tanta, tanta fome que quase não tenho força para caminhar... - lamentou-se.

Quanto mais andava, menos ajuda esperava até que viu ao longe um jardineiro. Despachou-se até que o conseguiu apanhar:

- Meu querido amigo, preciso de comer! Pode ajudar-me?

O jardineiro respondeu:

- Menina Girafa: espere só 2 minutos que é o tempo de ir buscar ração e erva bem viçosa com as quais a menina vai ficar deliciada! - garantiu.

Os minutos foram passando e quando a girafa olhou em seu redor viu logo o jardineiro, que lhe disse:

- O seu gesto de pedir foi tão bonito e humilde que lhe trago este tractor cheinho de erva bem viçosa e 2 sacos de ração. Dura até acabar. Mas sabe o velho ditado?...

A girafa respondeu:

- Sim. Tenho que comer só o suficiente pois quero continuar esbelta e bonita como sou. Para tal, não posso exagerar na comida. Sei que devo comer e ainda ficar com fome; só assim continuarei com a saúde que tenho.

(Família do Miguel Cruz - Silvino e Emília)

Assim fez a Girafa. Comia um pouco de ração e um pouco de erva a cada refeição. Só assim a comida que o jardineiro lhe tinha dado lhe durou tanto tempo.

A girafa começou a sentir-se com mais forças para andar e lembrou-se novamente de regressar à selva. No entanto, pensou que lá não conseguiria viver. Decidiu então que o melhor era ficar ali por perto.

Nunca perdeu a amizade com o jardineiro. Foram os dois para sempre amigos. E ela viveu feliz até ao fim dos seus dias!

(Família da Cátia Sofia - Paulo e Lurdes)

FIM

 

 

 

História D

A Girafa Pescoço Alto estava magrinha e muito triste porque na selva não conseguia encontrar comida. As árvores tinham todas as folhas muito altas e nem ela com o seu longo pescoço conseguia lá chegar...

 

Então foi deambulando continuadamente através da selva na esperança de encontrar alguma coisa que lhe pudesse matar a fome.

Já cansada e cada vez mais triste, sem forças para continuar, deixou-se desfalecer e sem dar por isso, caiu mesmo por baixo de uma árvore de cachos verdejantes.

Foi então que, olhando à sua volta, reparou naquela árvore. Encheu-se de forças para se levantar a fim de comer. Conseguiu. Ficou feliz e com vontade de continuar o seu rumo.

(Família da Mariana - Cláudio e Ana)

 

Mais à frente, encontrou o seu namorado Girafino:

- Olá, Girafino! - saudou ela.

- Olá! Estás boa?

- Sim, sempre tão preocupado comigo...

Decidiram dar um passeio onde tiveram a sorte de se cruzarem com a Girafina.

Chegados a um lago, a Girafina gritou de espanto:

- Olhem ali!! É o meu namorado!...

Quase em côro, disseram:

- Olá Ginarilito!

- Olá! - disse ele - Para onde vão?

(Família do Fábio Martins - Paulo e Adelaide)

 

- Vamos caminhar ao longo deste belo lago.. Queres vir connosco?

- Sim. Vou convosco.

E lá foram os quatro.

Durante o passeio, a Girafa Pescoço Alto contou aos amigos que esteve mal, que desfalecera por as árvores serem muito altas.

Passado algum tempo, encontraram uma árvore mais pequena e os quatro companheiros de passeio deliciaram-se com aqueles folhas verdinhas.

No final da refeição, sentiram-se com muito mais energia para enfrentarem novas aventuras!

(Família da Lurdes - Manuel e Carla)

 FIM

 

 História E

A Girafa Pescoço Alto estava magrinha e muito triste porque na selva não conseguia encontrar comida. As árvores tinham todas as folhas muito altas e nem ela com o seu longo pescoço conseguia lá chegar...

 

 

Na verdade, há já alguns dias que a Girafa pescoço Alto de alimentava das poucas folhas secas que iam caindo das árvores e bebia a água fria que caía naquela região.

A Girafa Pescoço Alto tinha muitos amigos. Muito deles também passavam fome devido à falta de alimento que ali se fazia sentir. Um dia, em grupo, decidiram traçar um plano...

(Família da Ana Lopes - Wesley e Anabela)

 

Decidiram caminhar mais um pouco pela selva. Finalmente, encontraram um grupo de macacos que brincavam pulando de árvore em árvore. E foi assim que conseguiram colocar o seu plano em acção. Os macacos, ao brincarem nas árvores, abanariam os ramos e as lindas folhas verdes cairiam ao chão...

(Família de Pedro Mergulhão - Carlos e Anabela)

 

Assim sendo, a Girafa Pescoço Alto foi saciando a sua fome. Mas, de repente, os macacos aperceberam-se que a girafa só lá estava para que eles provocassem a queda das folhas.

Então perguntaram-se se não seria melhor interromper a ajuda, abandonando as brincadeiras nas árvores...

(Família de Fábio Pereira - Carlos e Isabel)

 

Por isso a Girafa Pescoço Alto passou fome nos dias seguintes. Voltou a não conseguir alimentar-se. Os seus amigos de sempre viram a sua magreza. Ficaram muito preocupados e resolveram ajudar.

Recolheram muitas folhas com outros animais amigos da selva e, em equipa, conseguiram alimentar-se uns aos outros. Esse espírito fez com que fossem para sempre felizes!

(Família da Mónica Sofia - João e Dorinda )

FIM



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 00:31
Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

Concentração, Habilidade e... boa disposição!

 

 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 17:17
Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008

 

"Estava um dia de sol!"

 

No passado dia 20, fomos à escola-sede do nosso Agrupamento. Estava um dia de sol!

Fomos participar nos Jogos Tradicionais realizados na EB. Todos os jogos eram bons.

Levámos  fato de treino e sapatilhas. Os jogos eram: Tracção à Corda, Corrida de Sacos, Jogo de Latas e o Jogo da Colher.

Entrámos para o campo com os meus colegas e o professor a chamar por nós: "Curval2! Curval 2! Curval 2!"

Mas o jogo de que mais gostei foi o da Corrida de Sacos...

Foi um espectáculo!

Mariana Costa Duarte

 

 

"Estava muito bem organizado!"

Fomos pela primeira vez à EB participar nuns Jogos Tradicionais.

Equipados com fato de treino, chegámos atrasados mas ainda a tempo.

A nossa equipa chamava-se "FigCur" - Figueiredo + Curval.

Participámos em todos os jogos. Foi muito divertido.

Aquilo estava muito bem organizado! Adorei. Foi mesmo "fixe"!

Leonardo Filipe Almeida

 

"Já não havia bolachas..."

De todos os jogos, gostei mais do jogo Tracção à Corda. Foi nesse que ganhámos!

Não joguei no Jogo da Bolacha. Já não havia bolachas...

No Jogo das Latas, deitei abaixo, por duas vezes, todas as latas ao chão.

Gostei imenso do Jogo da Colher, onde até fiquei em primeiro lugar...

Estava sol.

Gostei de ir aos Jogos Tradicionais!

Pedro Alexandre Mergulhão



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 18:41

PAIS QUE AJUDAM

 

A fim de dar cumprimento ao inserto no Plano Anual de Actividades - em particular do empreendimento educativo "Silêncio, é o barulho das palavras", pedimos aos Pais que, partindo de um início de história comum, colaborassem no desenvolvimento do respectivo enredo.

 

Assim, cada Família tem (por um dia) a história em casa, que enriquece com uma passagem que ilustra com um desenho.

 

Este trabalho visa envolver as famílias nas aprendizagens dos seus filhos, estimulando o gosto pela Leitura e pela Escrita.

 

Quando todas as famílias tiverem ultimado as 5 histórias, procederemos à sua publicação, enriquecida(s) com as respectivas ilustrações.

 

Como já se disse, o  início de todas as histórias era este:

  • "A Giraga Pescoço Alto estava magrinha e muito triste porque na selva não conseguia encontrar comida. As árvores tinham todas as folhas muito altas e nem ela com o seu longo pescoço conseguia lá chegar..."


Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 16:19
Quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

Quem era Martinho?

 

Martinho era um valente soldado romano que estava a regressar da Itália para a sua terra, algures em França.
Montado no seu cavalo, estava a passar num caminho para atravessar uma serra muito alta, chamada Alpes, e, lá no alto, fazia muito, muito frio, vento e mau tempo.
Martinho estava agasalhado normalmente para a época: tinha uma capa vermelha, que os soldados romanos normalmente usavam.
De repente, aparece-lhe um homem muito pobre, vestido de roupas já velhas e rotas, cheio de frio que lhe pediu esmola.
Infelizmente, Martinho não tinha nada para lhe dar. Então, pegou na espada, levantou-a e deu um golpe na sua capa. Cortou-a ao meio e deu metade ao pobre.
Nesse momento, de repente, as nuvens e o mau tempo desapareceram. Parecia que era Verão!
Foi como uma recompensa de Deus a Martinho por ele ter sido bom.
É por isso que todos os anos, nesta altura do ano, mesmo sendo Outono, durante cerca de três dias o tempo fica melhor e mais quente: é o Verão de São Martinho.
Uma pesquisa dos Alunos da Turma C – 3.º Ano
 


 

Provérbios alusivos ao S. Martinho

 
· A cada bacorinho vem o seu S. Martinho.
· A cada porco vem o seu S. Martinho.
· Em dia de S. Martinho atesta e abatoca o teu vinho.
· Martinho bebe o vinho, deixa a água para o moinho.
· No dia de S. Martinho, fura o teu pipinho.
· No dia de S. Martinho, come-se castanhas e bebe-se vinho.
· No dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.
· No dia de S. Martinho, mata o porquinho, abre o pipinho, põe-te mal com o teu vizinho. (sic.)
· No dia de S. Martinho, mata o teu porco, chega-te ao lume, assa castanhas e prova o teu vinho.
· No dia de S. Martinho, mata o teu porco e bebe o teu vinho.
· No dia de S. Martinho, vai à adega e prova o teu vinho.
· Pelo S. Martinho abatoca o pipinho.
· Pelo S. Martinho castanhas assadas, pão e vinho.
· Pelo S. Martinho mata o teu porquinho e semeia o teu cebolinho.

· Pelo S. Martinho nem nado nem no cabacinho.
· Pelo S. Martinho prova o teu vinho; ao cabo de um ano já não te faz dano.
· O Sete-Estrelo pelo S. Martinho, vai de bordo a bordinho; à meia-noite está a pino.
· São Martinho, bispo; São Martinho, papa; S. Martinho rapa.
· Se o Inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho.
· Se queres pasmar o teu vizinho, lavra, sacha e esterca pelo S. Martinho.
· Veräo de S. Martinho säo três dias e mais um bocadinho.
· Vindima em Outubro que o S. Martinho to dirá.
Uma pesquisa dos alunos da Turma C - 3.º ano


 



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 09:28
Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

Educação Ambiental é Educar sobre Ambiente,
no Ambiente e pelo Ambiente


Com este projecto – de que é subscritor o professor José Manuel Alho - destinado às crianças do Jardim-de-Infância (JI) do Curval e aos alunos do 1.º e 3.º anos de escolaridade do 1.º Ciclo, pretende-se sensibilizar a comunidade escolar e a população local para o imperativo da preservação da qualidade e a utlização proporcionada da Água, desideratos que a todos deve animar e motivar.
Ainda que não se faça sentir de forma acentuada a degradação ambiental no meio em que se integra o JI e a EB 1 do Curval, afigura-se imprescindível dar o alerta, no sentido de evitar a destruição progressiva do ambiente e do esgotamento desregrado de alguns recursos naturais.
Sem alarmismos, sentimos - enquanto comunidade escolar - a dupla responsabilidade de, como cidadãos e educadores, tentar reflectir e abrir hipóteses, para agir em ordem a buscar alternativas ambientalmente sustentáveis.
É por isso que o Projecto da “Água, Fonte de Qualidade de Vida” pareceu-nos um empreendimento de eleição, para todos trabalharmos, para todos investigarmos, para todos tomarmos consciência que só de mãos dadas, e com o esforço e contributo de todos, poderemos preservar na nossa região a qualidade da água que ainda queremos para nós e para os vindouros.
Procuraremos alertar toda a população para os benefícios e proveitos de uma mentalidade que valoriza a Água enquanto fonte de Qualidade de Vida. (art.º 5, n.º 1 do Decreto-Lei 11/87, de 7 de Abril – Lei de Bases do Ambiente).
A comunidade local não poderá, por isso, ficar alheia. Será convidada a envolver-se no Projecto, mormente através da Associação de Pais (APEBC), partilhando experiências e saberes, colaborando com a escola na consecução dos objectivos que nos propomos atingir com este empreendimento didáctico-pedagógico, que queremos consequente.
Paul Valery dizia» A cultura é aquilo que fica depois de se esquecer tudo o que se aprendeu». Cremos firmemente que a educação ambiental não se aprende. Constrói-se. Na verdade, e sem querermos assumir um papel redutor ao omitirmos os aspectos participativos esperados, ousamos poder assim contribuir para a formação de uma certa cultura ambiental, dimensão indisputável da Educação Ambiental. Em resumo, assumiremos também como nossa máxima que “Educação Ambiental é Educar sobre Ambiente, no Ambiente e pelo Ambiente”.
Esforçar-nos-emos para que as actividades a desenvolver ao longo desta Área de Projecto – de que se destaca a visita ao Pavilhão da Água, no Porto - logrem atingir o alvo segundo uma, ou várias, das três vertentes seguidas: a cognitiva, a sensorial e a afectiva. Em consequência, teremos por óbvia a impossibilidade de seguir o provérbio» faz o que digo, não faças o que faço.» Procuraremos instigar hábitos de envolvimento social, que conduzem à formação de melhores cidadãos, naturalmente sensibilizados para agir em prol da sociedade.
Em muitas situações, estes projectos de educação ambiental são a solução realmente eficaz para os problemas ambientais, sustentando igualmente a educação integral dos indivíduos para a cidadania. Que assim seja.



Um trabalho de melguinhas_3_ano_eb1cuval às 13:15
Este é o nosso espaço para divulgarmos os nossos trabalhos, projectos e informações úteis sobre a nossa turma e seu funcionamento. Está simples para o enriquecermos à medida que formos crescendo. Tem a ajuda dos Pais e dos nossos professores.
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
30


BAÚ DAS RECORDAÇÕES
pesquisar neste blog
 
Enquadramento Legal
Na sequência da Reunião Geral com todos os Encarregados de Educação, realizada a 12/SET/2008, todos os Pais consentiram previa e formalmente o recurso a imagens e/ou à identidade dos seus educandos no âmbito dos trabalhos deste Blog.
Silêncio, é o barulho das palavras!
Tendo em vista as condções de melhoria do ensino da Língua Portuguesa, o Ministério da Educação promove um programa de formação contínua de professores, designado por Programa Nacional de Ensino do Português no 1.º Ciclo. Face às dificuldades dos nossos alunos no domínio da Língua Portuguesa, que constituem uma preocupação, o nosso Agrupamento aderiu a este Programa e no sentido de sensibilizar toda a comunidade educativa, surgiu a oportunidade de implementar um projecto com o objectivo de desenvolver e encontrar estratégias que, indo ao encontro dos problemas diagnosticados, os possam colmatar. O Projecto conta com a participação de escolas de vários níveis de ensino, desde o Pré-escolar, 1.º Ciclo até aos 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico de modo a perspectivar o ensino da língua de forma integrada. Espera-se que o trabalho produzido no âmbito deste empreendimento se constitua como um contributo útil não só para docentes, mas, essencialmente, para os seus/nossos alunos. Em suma, queremos ajudar os nossos alunos - numa parceria estratégica com as Famílias - a experimentar a Escrita e a Leitura como valiosa ferramenta comunicacional de participação democrática e de cidadania, de acesso à cultura (ou à variedade de culturas), de fruição estética e de comunicação com os outros. Este blog não passa de um recurso mais para enriquecer a abordagem proposta em sede de Projecto.
Calendário Escolar
1.º Período: Início a 12/SET/2008 e Termo a 18/DEZ/2008. 2.º Período: Início a 05/JAN/2009 e Termo a 27/MAR/2008. 3.º Período: Início 14/ABR/2009 e Termo a 19/JUN/2009. INTERRUPÇÕES LECTIVAS: 1.ª de 19/DEZ/2009 a 04/JAN/2009. 2.ª de 23/FEV/2009 a 25/FEV/2009. 3.ª de 28/MAR/2009 a 13/ABR/2009. DIAS LECTIVOS em 2008/2009: 1.º Período: 68 dias lectivos; 2.º Período: 57 dias lectivos; 3.º Período: 46 dias lectivos. ATENDIMENTO AOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO: terças-feiras, das 16.30 às 17 Horas (na terceira e quarta semana de cada mês).
Para Pais e Encarregados de Educação
Esforcem-se por falar sempre bem da Escola, dos Professores e do Pessoal Auxiliar para que o/a seu/sua educando(a) respeite o local onde aprende e, acima de tudo, quem o/a ensina. Verifiquem, com naturalidade, se faz os trabalhos de casa e se traz o material necessário para as aulas. Ensinem-no(a) a organizar o tempo, para que possa estudar, brincar e até, quem sabe, dar uma ajuda em casa. Arranjem-lhe um local arejado e com boa luz onde, além de arrumar todo o seu material, possa estudar tranquilamente. Falem-lhe das vantagens de um comportamento calmo, educado e cooperante, que (só) o(a) ajudarão a ter sucesso educativo. Sempre que possível, ofereçam-lhe um livro e incentivem-no a ler. Falem, com entusiasmo, de como é bom aprender sempre mais de forma a que o/a seu/sua educando(a) tenha gosto pela vida escolar.
Melgas de serviço
Ana Lopes; Cátia Sofia; Davi Santos; Fábio Martins; Fábio Pereira; Gabriela Filipa; João Paulo ; Jorge Silva; José Pedro ; Leonardo; Luana Silva; Lurdes Sofia; Mariana; Miguel Cruz; Mónica Sofia; Pedro Mergulhão.